sábado, 18 de setembro de 2010

Um dia tipicamente holandês

Aqui na Holanda, pelo menos na universidade onde trabalho, os grupos têm um "Lab day" todos os anos. Durante esse dia festivo, os membros dos grupos de pesquisa passam o dia a fazer atividades juntos (dizem que é para estreitar os laços). Esse ano foi meu sexto "Lab Day" e achei tudo tão típico que resolvi documentar por aqui.

E por que eu digo que foi típico dia holandês?

Primeiro a começar pelo tempo. Estava um pouco frio (para os brasileiros eu diria MUITO frio) e choveu uma chuva chata o tempo todo. Isso é típico.
Segundo porque, mesmo com o mau tempo, nada foi cancelado e não tinha nenhum plano "B". O planejamento detalhado e falta de flexibilidade frente a algum problema também são típicos. O percurso de 8Km até o local do "evento" foi feito de bicicleta debaixo de chuva (quer coisa mais típica?). Eu fui logo tratando de pegar carona de carro com a Patrícia, outra brasileira do grupo.
O terceiro lugar em "tipicidade" foi para as atividades ao ar livre. Holandeses adoram o contato com a natureza e adoram fazer esforço físico...rsrsrs. O "grupão"foi dividido em grupos menores que iriam competir entre si. Tivemos que construir uma balsa e usá-la; corrida de obstáculos; arco e flexa; fazer uma torre de madeira e subir nela e mais outras coisas que eu não conseguiria explicar direito. Mas cada grupo ia em separado e um não via o que o outro fazia (cadê a graça?).
No quarto lugar ficou a preocupação ambiental. Já explico; vamos colocar num contexto:
Por causa das três razões anteriores, vocês já devem imaginar a situação do pessoal ao fim da tarde, certo? Bem, a maioria dos holandeses e nenhum estrangeiro (que deve ser a metade do grupo) levou toalha e roupas extras. Eu cheguei no salão de jantar molhada, suja de lama, com frio e cansada. Vi que o primeiro grupo já estava debaixo de um aquecedor de teto bem gostoso e todos tomavam cafés ou chás. Ótima idéia! Fui lá pedir meu capuccino! O rapaz do bar deixou o leite fervendo e espumante escorrer e molhou ao redor do copo de papel. Eu pedi um guardanapo para limpar e daí é que veio a preocupação ambiental: aqui nessa terra a coisa mais difícil de encontrar é guardanapo! Pode ser o quitute mais gorduroso do mundo, mas nada de guardanapo. Às vezes eles têm escondido e só dão UM, se a pessoa pedir; os outros que se contentem em lamber os dedos (e lambem!) ou limpar na roupa (e limpam!). Quem sai com criança leva uns lencinhos úmidos descartáveis para limpar os filhos e alguns até se aventuram na pia do banheiro, quando é possível.
Pois bem, voltando ao assunto do meu copo de papel sujo de leite quente, o rapaz do bar foi muito simpático e solícito e deu uma olhada em volta e disse que não tinham guardanapos e fez uma brincadeirinha sobre a importância de preservar a natureza (dããã), mas me pediu pra esperar um pouco. Daí ele entra por uma portinhola e sai alguns segundos depois segurando um bolinho de papel higiênico! Como já etsou acostuma com essa finesse tipicamente européia, aceitei, agradeci e limpei meu copo de papel com papel higiênico.

Viu como funciona a lógica holandesa? Guardanapos de papel poluem o ambiente e não devem ser usados ;)

Mas falando sério...apesar das tipicidades norte-holandesas, o dia foi agradável e divertido! (e essa semana tá cheio de gente de nariz entupido e com dor de garganta no trabalho)






5 comentários:

Zoe disse...

Adorei o seu labdag, altamente descritivo! Consigo me identificar com tudo. Eles adoramm essas coisas com natureza, com competição e tal! Ano que vem eu estou na equipe para organizar o labday do meu grupo.

Adriana disse...

Eu disse que gostaria de organizar tb; olha meu programa: manhã (a partir de 10.30h)- café; compras; almoço; compras; lanche e cinema; jantar e, se for numa quinta, mais compras...ha ha ha ha

Vanda Menegatto Fujimoto disse...

Nossa, nunca parei pra pensar que lenço de papel polui o meio ambiente, aqui no Japão se usa muito pra tudo tem promoções tem de bolso, com personagens de desenho, no inverno então, que é epoca de gripes aumenta mais o consumo, foi bom ler esse post, eu acompanho seu blog por causa do assunto bilinguismo.

Jaboticaba Preta disse...

hahahahah rindo muito.Esses 'dag' da vida são assim mesmo. Os que eu participei fui bem mais tarde e só mesmo para o jantar kkkk

Só não concordo que os holandeses adoram um esforço físico. Eu diria 'adoram esporte físico'. Você já teve a experiência de ajudar um nativo na sua mudança? As 3 vezes que ajudei foi um desastre. Muitas pausas, comilança e blábláblá e nada de pegar no pesado.

maria zubrowka disse...

so de pensar em lab day até dá arrepios. meu deus, como eu odiava esse dia!

no ano em que estive em barcelona gostei mt mais, metade do tempo era a comer e quase a dormir a sesta em cima do almoço, muito mais ao nosso jeito ;) não deixei de pensar na comparação.

nunca vou superar o trauma de lab day holandês, eheheh.

Que idioma você fala com seu(s) filho(s)?