segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Como se chega no Brasil?

Eu cheguei ao Rio com os meninos duas semanas antes do papai e Victor estava muito preocupado sobre a viagem dele, achava que ele poderia se perder porque o caminho era difícil. Daí ele resolveu explicar como ele deveria fazer:

(Diálogo em holandês, pelo telefone. Claro que só vou colocar a parte do Victor, já que não pude escutar o outro lado. As palavras entre aspas ele falou em português)




- Papai, você tem que ir de trem e dormir no hotel. É no hotel! Vai de ônibus. Aí você acorda e tem que tomar café-da-manhã. Tem que comer bastante pra não ficar com fome. O ônibus vai lá te buscar e te leva pro avião. É só andar e procurar...tem que andar muuuuito! Aí você vai chegar na "Inglaterra". Não!!! Você pega outro avião. O grande. Mas aí você procura e vai pro "B". É, "B" de "Brasil". Fica no avião e tem que colocar o cinto. Sim, tem comida lá no avião. Não, é ruim. Mas tem que comer porque não tem outra. Aí você vai passar na África. Não, não! O leão tá lá em baixo, o avião não desce, só passa voando lá em cima. Não precisa ficar com medo, o leão tá longe! Você pode ver "DVD" do Ice Age three e depois dormir. Aí você chega no Brasil! Não, não....tem que pegar o carro e aí chega na casa da "tia". "TENDEU"? Tchau e beijo. Agora vai que o avião não espera, tem que correr!!!

- E aí, Victor, explicou pro papai? Ele vai se perder?
- Expliquei. Agora ele já sabe vir pra casa "do" tia pra gente ir "no" praia!



Esse menino tem ou não tem talento pra ser "tom-tom"? :)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Porto Alegre





Passamos um final de semana em Porto Alegre e uma semana em Florianópolis. Na capital Gaúcha fomos recebidos e abrigados pela Lena, Edimar e a linda Mayara. Os meninos se divertiram até se acabar e Daniel vivia chmando a "Mailala". O churrasco feito na casa de nossos anfitriões foi o mais gostoso que já comemos até hoje!

Obrigada por nos aturarem! Estamos esperando vocês em Groningen :)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Bia Bedran e o Lobo Mau

Logo na primeira semana no Rio, nós fomos assistir a divulgação do novo DVD da Bia Bedran. Esse DVD foi feito durante uma peça de teatro que nós também assistimos em nossa última visita à Cidade Maravilhosa. Foi tudo ótimo, mas o problema é que agora os meninos, especialmente Victor, andam preocupados com o Lobo mau.
Sentamos na primeira fila e, na hora da historinha da Chapeuzinho Vermelho, Victor deu um showzinho à parte. Levou o maior papo com Bia Bedran:

(...)
- E aí veio o lobo e...tchum! Comeu a vovó!
- Comeu a vovó???? E ela ficou dentro da barriguinha do lobo???
- Ficou sim.
- Mas ela morreu???
- Não, ela não morreu. Ela ficou pouco tempo lá dentro porque a Chapeuzinho foi lá chamar os caçadores e...
- Mas o lobo come vovós???
- Come sim!
(...)
Depois disso está sendo um problema porque ele pergunta o tempo todo onde está o lobo, se em toda floresta tem lobo, se na Holanda tem lobo, se lobo come vovós e crianças e por aí vai. Daniel, que está mais parecendo um eco do irmão ultimamente, resolveu também incorporar o medo do Lobo mau. Eles nem quiseram ir ao zoológico! Victor também disse que quando voltar pra Holanda e estiver frio não vai poder usar o gorro vermelho ou o Lobo vai achar que ele é a Chapeuzinho. Pode isso?!

O mais bonitinho disso tudo é que aprenderam muitas coisas sobre o Lobo mau, inclusive a cantar a musiquinha. Olhem só a performance do Danielzinho:


video

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

"Desculpa" tem prazo de validade?

    Aqui o ciúme e os tapas correm solto. Quando um bate no irmão, tem que pedir desculpas. Mas Daniel ainda não entendeu o espírito da coisa.

- Daniel, mamãe já falou que não pode bater no irmão! Peça desculpas!
- Não vou falar "discúpa"não!
- Fala sim. O irmão tá triste com você. Mamãe já falou que não pode bater; tem que pedir desculpas.
- "Discúpa", Victor.

E após 2 minutos:

- Mamãe! Daniel me bateu de novo!!!
- Ah, Daniel, que feio! Mamãe não disse que não pode bater?
- Mas eu "zá" falei "discúpa", mamãe!!!


    Será que ele está achando que "desculpa"é uma palavra-senha que dá permissão pra bater no irmão? :)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Quase fomos descobertos!

    Bem, aqui no Rio está tudo ótimo. Estou curtindo até engarrafamento na Linha Vermelha porque daí posso comprar biscoito Globo, mas o post de hoje não é sobre isso. O assunto é mais sério! Estou observando como os meninos interagem com os "nativos". Eu fico curiosa de saber se as pessoas conseguem notar que eles não foram nascidos e criados aqui. E opinião de amigo não vale nesse caso, né? A pessoa sabendo que eles são criados na Holanda, podem justificar os erros de português e de pronúncia deles como sendo consequência disso. Uma pessoa "desavisada" já não vai ter essa idéia pré-formada.
    A coisa estava indo bem; Victor até deu um showzinho na apresentação da Bia Bedran e NINGUÉM levantou a hipótese dele não ser brasileirinho típico. Nos parquinhos, nos restaurantes e até na natação não fomos indagados, nem uma única vez, sobre o assunto "fala". Até que na sexta passada nós quase fomos descobertos! Ainda bem que foi "quase".
    Uma das atividades preferidas têm sido os parquinhos dos shoppings (ar condicionado pra esses dias de calor!). Eles ficam lá brincando com as "tias" e eu tenho meus minutinhos de descanso. Dessa vez, Daniel ficou sem chorar após 10 minutos e na hora que fui buscar os dois...

- Vocês não são daqui, né?
- Não...
- Ah, logo notei! Victor acabou de me perguntar se eu podia dar uma "balinha ou pirulito" (imitando sotaque baiano). Vocês são da Bahia?
- He-he-he (risada sem graça e querendo uma saída estratégica pela direita, já que provavelmente vamos voltar lá). Eles devem estar com fome, temos que ir.


Ufa!!! Essa foi por pouco!!!!

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Problemão das férias

    Chegamos ao Rio faz uma semana. Estou com problemas pra entrar na internet, mas assim que as coisas melhorarem, vou tentar escrever mais algumas das várias pérolas dessas férias :)
    Bem, papai ficou na Holanda e só chega daqui há uma semana. Victor já estava com saudades no trem, cinco minutos após iniciada a jornada com destino à cidade maravilhosa. E ontem ele reveleou-me seu grande problema:

- Por que você está tristinho, meu amor? Qual é o problema?
- É que eu quero falar pro papai que estou com saudades. Quero contar pra ele que estou com saudades desde o trem!
- Então você pode falar isso pra ele mais tarde pelo telefone, ué!
- Mas o problema é que eu não "sabe" falar saudade em " landêis". E nem em inglês!



Bem, isso realmente é problemão. Ou não é? :)

Que idioma você fala com seu(s) filho(s)?