segunda-feira, 24 de dezembro de 2007

Que susto!


Toda vez que chego num lugar com Victor, eu passo os olhos e avalio os possíveis "perigos". Feito isso, posso calcular, sem muita margem de erro, quanto tempo eu posso ficar nesse tal lugar. Costumo "pontuar" tudo: escada (-30 minutos), bibelôs pela sala (-10 minutos), balas e chocolates à vista (- 15 minutos), sofá claro e bebidas (- 60 minutos) e por aí vai.

Ontem não foi diferente. Fomos ao aniversário da Patrícia, minha nova amiga carioca, e já fui fazendo as contas ao chegar. Pedrinhas na entrada, escada e 2 gatos, árvore de natal com bolas e penduricalhos (!!!), cozinha aberta com portas e gavetas tentadoras, mesa cheia de coisinhas gostosas...ai, ai, o saldo final foi cerca de 5 minutos mas, para minha surpresa estupefada, ficamos 2 horas.E sem intercorrências!

Victor chegou e apertou a mão de todos, se apresentando à moda holandesa (aperto de mãos firme e rápido, ao mesmo tempo que se fala o nome); ele não derrubou nada, não subiu no sofá, não correu atrás dos gatos o tempo todo e, pasmem, não tentou subir a escada!

Comecei a me preocupar: alguma coisa não estava indo bem. Essa dúvida se tornou certeza quando as palavras "por favor"e "obrigado" começaram a sair da boquinha nas horas certas.

Na hora de comer, ele sentou no meu colo à mesa e não se jogou por cima dos pratos para pegar o que tinha do outro lado! ao invés disso, ele pediu EDUCADAMENTE o que queria. Até chamou a avó da casa de "oma" (vovó em holandês). Também não deu mordidinhas e jogou o resto no chão: ele comeu quase tudo que pegou.

Quando viu um pote de balas, ele pediu. Esperançosa, eu achei que ele estivesse voltando ao normal. Ledo engano: quando eu disse que ele poderia pegar apenas uma, ele OBEDECEU! e o mais grave foi que ele não pediu mais!

A prova final de que algo não ia bem foi a árvore de natal. Ao invés de correr pra arrancar as bolinhas, ele apenas exclamou:"oh, uma árvore de natal!" E SÓ!!!

Na hora de ir pra casa, ele me deu a mão para andar até o carro da Patrícia, que nos levaria à estação de trem. Nesse momento, pensei em pedir que nos levasse direto ao pronto-socorro, mas decidi que seria melhor passar em casa para deixar Daniel com o pai, afinal poderia ser caso de internação!

Chegando em casa, ele contou a respeito da festa pro pai e ainda aceitou beber o leite. Estava considerando, naquele momento, telefonar pra ambulância.

Quando já estava à beira do desespero, ele se joga no chão e começa a birra ao ver a escova de dentes e o pijama.

UFA! QUE ALÍVIO!

O alien que invadiu o corpo do meu filho voltou de onde tinha vindo e eu ganhei meu neném de volta :):):)

3 comentários:

rosetuin disse...

Ei Adriana, legal saber que está blogando também. Eu acho que tem tudo pra 'vingar' :)
Eu tb tenho planos de voltar a escrever um blog. É tanta coisa que acontece qdo a gente tem 2 pequeninhos, que dá uma vontade enorme de contar, como vc mesmo disse, nem que seja pra nós mesmas... hehehe
Eu volto sim. Enquanto isto vou passando aqui :)
Um abraço grande!

Vivi disse...

Amei! Vou sempre passar por aqui!
Convido para conhecer o meu, que é mais um fotoblog... http://gigiegabi.blogspot.com
Beijo.

Simone Tnk disse...

Alien? hahahhahahah

Dri, ta vingando e tá ficando muito legal.
Com foto então, tá o máximo!!!

Que idioma você fala com seu(s) filho(s)?